maio 08, 2010

Redescobrir....aos 45!


O que fui? fui sempre uma menina a quem se podia considerar "rebelde", que na época da sua adolescÊncia ia contra tudo e todos, que nunca estava com atenção nas aulas, muito faladora, educada, um pouco respondona, brincalhona...muito brincalhona mesmo! Festas era com ela, estudar o quanto baste (que o meu filho não leia o que acabei de escrever!), segundo diziam: se quisesse era muito melhor aluna que a irmã (que foi sempre uma excelente aluna!), ela não quer é estudar, só mesmo o básico! Fui educada numa família feliz, tendo uma educação em que posso dizer que foi normal, não tinha o que queria, não fazia o que queria, aprendemos sobretudo a amar os outros a olhar para os outros com respeito e a valorizar tudo aquilo que conseguiamos ter. Tive e tenho uns pais fantásticos e uma irmã tremendamente fantástica...posso dizer que apesar de termos uma diferença de 22 meses (ela é mais velha) é quase como se tivesse uma segunda mãe...fui mimada (ainda hoje sou!), tive algumas discussões com a minha mãe porque esta não me deixava saír as vezes que eu pretendia e isto porquÊ? porque a minha mãe sempre foi e ainda hoje o continua a ser o que se chama uma MÂE super mas super Galinha! tão galinha que sempre nos tentou proteger de tudo e todos...se houve algumas falhas? sim! Mas falhas existem e vão sempre existir na educação de uma criança, até porque educar não se estuda nem se é ensinado a tal...educar é algo muito complexo, e o que eu não conseguia aceitar nem tão pouco compreender, hoje que sou mãe já o compreendo...aceitar já o aceito mas de outra forma e com outra prespectiva  das coisas. Fui crescendo!!!!
O que sou? Estudei, tirei um curso não aquele que pretendia...mas escolhi o que tirei num daqueles momentos em que eu achava que quem decidia era eu...eu é que sabia e também porque tinha uma amiga no mesmo...hoje já me arrependi de não ter estudado mais um pouco de Matemática e ter feito o que queria: ser Veterinária! mas enfim já foi já foi!!! hoje estou metida no meio de quatro paredes e a fazer algo que gosto e não gosto!!! Durante o percurso da minha vida...sempre fui a mesma pessoa, divertida, alegre,triste, risonha, chorona (ainda hoje choro imenso) sensivel ao que se passa em redor da minha pessoa, a quem  diga que sou perspicaz, audaz, charmosa (ui, desculpem mas esta faz bem ao ego!), amiga do seu amigo, acho que sou boa mãe, boa companheira, e segundo dizem...agora tornei-me uma boa amante! é sobre isto que estou a escrever o que chamo REDESCOBRIR...aos 45 anos, é mesmo aos 45 anos! Sempre achei  que não era...e porquÊ não sei ou talvez saiba...a minha mãe muito a sua meneira ensinou-nos tudo aquilo que as meninas tinham que aprender na sua adolescÊncia, mal ou bem ela fez o que todas as mães acham que devem dizer, explicar as suas filhas o que é ser menina e passar a ser mulher ...mas inconscientemente ou conscientemente sempre frisando atenção olha o que pode acontecer...não faças isto não faças aquilo...e sem querer fiquei presa...a medos! Medos esses, e não tenho vergonha em dizer, que estando num cantinho deste meu pequeno cérebro que me diziam ...não te soltes...o que fazes? que disparate! és envergonhada! sei lá tanta coisa "estranha" que sentia comigo própria que tinha vergonha de falar. Mas eis que não há muito tempo atrás com relfexões que fiz sobre mim própria...com uma situação chata que vivi...me fez despertar para a vida ...me fez olhar para mim própria e pensar: mas que "estúpida" és assim porquÊ? tu que és uma aventureira nata em algumas coisas, que gostas de ser quem és, que tentas ser livre dentro dos padrões possíveis, tÊns uma  familia que te adora....liberta-te sÊ tu...sÊ aquela mulher que és! Vive a tua intimidade como a deves viver...o teu corpo é teu...goza-o bem, aproveita porque a idade vai passando, não tenhas receios, medos de quÊ, parte para a aventura do teu mais intimo...e eis que aconteceu! Hoje neste momento sinto-me mais EU, sinto mais a minha pessoa a crescer...sinto que junto aquela que sempre foi alegre, bem disposta, conversadora, brincalhona,  que está uma mulher madura que descobriu aos seus 45 anos está mais completa, mais arrojada, mais MULHER em todos os sentidos! Quando aos 45 anos ouvimos dizer: "oh C..os anos estão a fazer-te bem!" quando passamos por alguém e nos diz: "hoje estás gira!" quando conversamos com novos colegas de trabalho e calha a dizer que tenho 45 anos, ouvimos mas não parece nada..estás óptima!!! Aqui pensei: sinto-me bem, tÊns um corpo mais ou menos bem...gostas de te ver então...  os MEDOS, a VERGONHA que sentia ao olhar para mim para o meu corpo, que me aprisionavam estão a dissipar-se a uma velocidade que me alegra posso dizer tristemente ou alegremente que o poderia ter feito a muito mas muito mais tempo sim é uma verdade, mas como tudo na vida mais vale tarde do que nunca!

O ser mais eu na minha vida sexual o sentir todas as partes do meu corpo a vibrarem a extasiarem-se num prazer como nunca o senti faz de mim VIVA, sem MEDOS, faz de mim ser verdadeira com o meu corpo, ser natural no que quero sentir, ser aquilo que sempre o pretendeu ser mas que não conseguia que era ser EU!   

O MEDO de ser eu, passou...estou mais leve...olho-me ao espelho e digo: agora sim, és uma mulher completa feliz que se redescobriu que quer ser feliz e fazer felizes aqueles que te rodeiam, dar prazer e sentir esse prazer como sempre o sentiste mas que tinhas medo de o expessar de o dizer!

Tenho pensado e reflectido muito e concluí que estupida que foste...só aos 45 anos é que te redescobriste sexualmente que parva!!! Olha o que perdeste? é verdade sim, já tive vergonha de mim mesma, já pensei que talvez até podesse ter algum problema, pensei que não fosse normal, é dificil de entender é...porque eu para a minha pessoa sou complicada, indecisa, pouco segura, fechada nos meus sentimentos mais intimos...mas não pensem que tudo isto foi conseguido sozinha...não...algumas conversas que tenho tido abertamente sem tabus, sem vergonhas, me fizeram querer sentir/desejar ainda mais,  de querer sentir o PRAZER de uma forma mais solta,  ser tocada como se fosse a primeira vez, viver/sentir o prazer a pensar que o mundo pode terminar amanhã...sentir tudo mais intenso, viver momentos loucos sem os tais ditos MEDOS! 

Podem dizer: coitada ao fim deste tempo tempo e então para trás? para trás afirmo que era uma mulher que sentia prazer...mas não o sentia como o sinto hoje...!!!! Palavras para quÊ!! 

Agora mesmo me dou comigo a pensar: olha endoideceu...vai querer recuperar o quÊ? Resposta: não não endoideci....e quero recuperar tudo o que "perdi" até hoje!!!! Será o sindrome da meia idade? talvez não sei...mas se for paciÊncia...que o redescobri isso sim e é o que importa...o resto posso dizer: que se lixe já não tenho idade para preconceitos e muito menos para ter vergonha de mim própria...Conclusão aos 45 :  aprendemos com a vida, aprendemos com as experiÊncias vividas e conto aprender mais com aquelas que tenciono viver...e isso é que interessa! Posso dizer que neste momento me sinto mais sensual...mais....

Confesso que posso ter pena de não ser mais nova para alterar muita coisa que fiz...mas também digo que esta é uma idade muito boa das nossas vidas...é uma idade muito interessante...não é a idade dos PORQUÊ mas sim a idade do FAZER, do AGIR, do SENTIR!

Se o que escrevi aqui for disparatado para alguém...é o que sinto é o que sou, fui...porque o que serei...serei EU e isso ninguém mas ninguém me tirará!

O que serei? MULHER! MÂE! AMANTE! Eu MESMA!!!!



Mais uma vez ..escrevi e não reli...qualquer erro ou falta de sequÊncia nos pensamentos/escrita...sou assim mesmo...não tenho jeito para a escrita...escrevo conforme vou pensando! Ah informo que é a primeira vez que escrevo e relato algo tão meu!

   
                 

12 left hand:

DoceSussurro disse...

:))
Adorei este teu post!
Revejo me em algumas das coisas que escreves...
Que bom que é sentirmo nos mais completas e realizadas!

E a tendência é continuar a melhorar!!

Beijinho*

(Obrigada por partilhares tanta intimidade)

Canhota! disse...

Doce Sussurro!

obrigada pela tuas palavras! Não é facil não duvides...mas era algo que tinha que escrever..porque ao escrevermos também faz com que demonstremos a nós próprias que somos fortes e que conseguimos ultrapassar obstáculos, é a isto que eu chamo de VIVER!

jinhos:)

Mariana marciana disse...

Canhotinha,
adorei o post, não (só) pelo conteúdo, mas por te teres "dado" de forma tão transparente. É um grande privilégio poder conhecer-te e ao teu percurso, testemunhar o teu crescimento.. (lamechas, eu sei...)
Todos nós temos um grande caminho pela frente, em todos os sentidos, essa é a beleza da idade: a descoberta. Com o tempo, vamo-nos tornando pessoas mais completas (o projecto nunca está terminado), vamos sendo mais e melhor :)
O "aceitar" da sexualidade é para mim a mais bela das descobertas... eu sempre fui uma pessoa confiante e sem tabus mas não acho que desfrutasse mais aos 20 que agora... a experiência dá-nos algo que a juventude oculta... acho que é uma evolução constante, aos 45 espero ser bem mais sensual do que aquilo que sou agora... cada vez mais, também as mulheres são como o vinho do Porto...
Beijocas grandes miga

Tia Complicações disse...

Como te compreendo Canhota….
Tenho 48 anos. A maturidade que a idade me proporciona dá-me uma visão mais alargada das pequenas coisas que dantes me passavam despercebidas.
Os anos vão tirando a juventude a beleza até a força física. Em contrapartida o tempo dá-me a sabedoria e afirmação, uma força interior que move montanhas. Deixei de me ver como um corpo bonito cheio de complexos (hoje vejo que esses complexos não tinham razão de existir). Hoje sou uma mulher vivida audaz com uma imagem luminosa, gosto daquilo que vejo e sinto. Esse sentimento aumenta o ego e é uma mais valia para explorar a outro lado outrora um bocado apagado….
Felicidades pela grande redescoberta :)
Bejos * * *

Nirvana disse...

Canhotinha, se "não tens jeito para a escrita", então eu não tenho jeito para a "lida", porque fiquei aqui colada a ler estas tuas palavras. Há melhor forma de escrever do que com espontaneidade e coração? Acho que não.
Não é fácil falar de nós, e muito menos da nossa intimidade. Há coisas que por vezes nos condicionam e das quais não nos libertamos com facilidade. Descobrir-nos a nós próprios é uma aventura!! E que bom que é viver a sexualidade com maturidade.
Acho que não somos iogurtes, com prazos (ontem escrevi sobre isto mas não acabei - fui ver os Gotan Project - DEMAIS!!!). As coisas acontecem quando têm de acontecer, e principalmente com quem têm de acontecer!
Adorei ler este teu post :).

Beijinhos :))

Canhota! disse...

Todas são demais! Ao ler o que escreveram deixam-me sem palavras palavras para escrever!

Todas as idades são óptimas, a forma como as vivemos é que são diferentes!

Sensualidade podem crer que também existe nas várias idades, não por é por ter chegado a esta...mas tal como a Mariana diz..."somos como o vinho do Porto" eheheh!!!

A Tia Complicações tÊm imensa razão a maturidade dá-nos outra visão, outra sabedoria e é tão bom sentir isso!

Nirvana a expressão dos iogurtes está óptima...claro que não temos prazo porque não azedamos com a idade, mas sim o contrário...tornamos-nos mais, doces, mais TUDO!!! Ainda bem que gostaste do Gotan Project, eu tb gosto!

a todas muito obrigada e jinhos :)

Até estou sem graça:) :)

Gaja com G maiúsculo disse...

Em primeiro lugar minha C@nhota rebelde, adorei o teu post, aliás posso ir mais longe? Revi-me em várias coisas que enunciaste, quer acerca da tua adolescência, da tua educação, do que sentes´, o que para ti não deve ser novidade porque também visitas o meu cantinho.

E cada um de nós tem a sua forma de se expressar, una mais na brincadeira, outros sobre temas do quotidiano, outros (que é o nosso caso) sobre nós e a vida. Custa mais? Custa! Expomo-nos, mas sabe tão bem!

Nunca é tarde demais para essa redescoberta de que falas, e pelo que posso deduzir em conversas com pessoas de várias idades, e por experiência própria, acho que com a sexualidade é mesmo assim, o tempo torna-nos melhores e ensina-nos a adoptar atitudes diferentes.
Portanto, bola para a frente, que estás no caminho certo :)

Beijinhos grandes

TouroCeptico disse...

Um testemunho muito bem escrito, de grande sensibilidade...mas acima de tudo muito corajoso...sobre um tema que ainda aparece conotado como tabú...no seio do universo feminino!

Tenho para mim, que a segunda metade da nossa vida...é o usufruto da experiência acumulada na primeira...

Beijinhos

maria teresa disse...

E fez muito bem em o fazer! Eu descobri-me como Mulher completa mais cedo,o meu casamento deu-me tudo isso. Mas creia que na década dos quarenta me senti no apogeu da minha vida. Já não tinha filhos pequenos que nos prendessem... eu e o meu marido sentíamo-nos mais "libertos", tínhamos crescido, estava "enxutona", resplandescia...
Viva o seu "grito" e a Redescoberta!!!
Abracinho

by "A Invisível" disse...

Querida C@nhotinha;

Uauuu! Que sinceridade... Muito bem! Adorei a tua "libertação" através da escrita. Adorei o texto.Mesmo!
Nestes momentos, faltam sempre todas as palavras, para demonstrarmos a nossa apreciação.
Gosto dessa tua coragem, mostra que estás sempre apta e disposta, para novas mudanças.

Beijinho muito, muito, muito, muito GRANDEEEE!

(maluquita que eu gosto!!)

Girl in the Clouds disse...

Gostei muito do teu post e de facto é muito importante sermos nós mesmas, sermos felizes!!

João disse...

E assim mesmo é que deve ser. escrever sem olhar. deixar fluir sem mais.faço o mesmo daí os muitos textos absolutamente desconexos. As vezes o sobre esforço para aquilo ter algum sentido.

qt ao so aos 45 anos te teres descoberto, no problem, ainda estás mais que a tempo ate pq, como sabes melhor que eu, "só agora", por todas as razões se ganha uma maturidade única, por isso talvez, a melhor altura para desfrutar de certas coisas seja essa, a dos 40.

bjs
e origado pelas palavras lá pla tasca.